quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Arrebatamento

redemoinhos de silêncios, 
tanques fundos em eteceteras, 
universos de aerossóis envoltos em lunatismos,
estrondos dos clímaces dos lençóis de água dos céus,
fogos das dragonarinas do mistério como se fosse um beijo
.
.
.
adentrou-me os íntimos a poesia com um aperto de mãos.

(Francisco de Assis Carvalho da Silva Junior - Carvalho Junior, Caxias-MA, 2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário